O TEUCPV E O CORONA VIRUS

O TEUCPV E O CORONA VIRUS

TEMPLO ESPIRITUAL DE UMBANDA CABOCLO PENA VERDE E O COVID-19

Irmãos, boa noite !

Estamos vivenciando a recém-declarada pela OMS – Organização Mundial da Saúde, pandemia da corona vírus. Todos os continentes acometidos! Isso já era esperado, tratava-se apenas de uma questão de tempo.

As gripes são comuns, epidemias são sazonais. Outras dessas já vieram, algumas piores outras mais amenas. Estamos de frente a um vírus novo no humano, sobre o qual há algumas incertezas.

Fato é que estamos sendo invadidos e bombardeados de informações (falsas e verdadeiras) dos mais diversos meios de comunicação, estimulando a ansiedade e, por vezes, o pânico. Mas, o momento agora no Brasil é de PRUDÊNCIA !

A letalidade de sua infecção em crianças e adultos é próxima de zero, porém é elevada em idoso, especialmente nos acima de 80 anos e com outras doenças associadas.

Há três fases epidemiológicas de uma epidemia:

PRIMEIRA – é a dos casos “importados”, ou seja, os casos são de pessoas que retornaram de países onde há a epidemia ocorrendo;

SEGUNDA – é a de transmissão local, ou seja, pessoas que não viajaram para o exterior ficam doentes, mas ainda ‘impossível identificar o transmissor (geralmente parente, pessoas de contato próximo etc.);

TERCEIRA, que é a de transmissão comunitária, ou seja, o número de casos aumenta exponencialmente e não se consegue identificar a fonte transmissora. Para cada fase há orientações a serem cumpridas para o controle da epidemia.

No caso do Brasil, até o momento em que escrevo (12/03/2020, 23:50) em que não há ainda 100 casos confirmados (oficialmente há 77, porém há alguns ainda não notificados) não existe recomendação para que se fechem escolas, faculdades, escritórios etc.

Quando se identifica a fase inicial da transmissão comunitária (a terceira fase), recomenda-se:

  • Estímulo a reuniões via internet e Home office
  • RESTRIÇÃO DE CONTATO SOCIAL PARA PESSOAS COM 60 ANOS OU MAIS E QUE APRESENTEM DOENÇAS ASSOCIADAS (IMUNODEPRESSÃO, DOENÇAS RESPIRATÓRIAS, ETC)
  • Cancelar ou adiar eventos com muitas pessoas
  • Isolamento respiratório domiciliar de pessoas que regressaram de países que também se encontram na fase de transmissão comunitária

Se a epidemia na fase de transmissão comunitária, de fato progredir, em geral ultrapassando 1.000 casos, aí sim deve ser considerado o fechamento de escolas, faculdade, interromper eventos coletivos, fechamento de bares e boates, INTERRUPÇÃO DE CULTOS RELIGIOSOS etc.

Portanto, não há motivo, por ora, de interrompermos nossa atividade no nosso terreiro, entretanto sejamos calmos e prudentes… TEMPORARIAMENTE, EVITE AS GIRAS SE:

TIVER MAIS DE 60 ANOS E OUTRAS DOENÇAS ASSOCIADAS TIVER MAIS DE 80 ANOS TIVER DOENÇAS RESPIRATÓRIAS, ESTIVER GRIPADO (FIQUE EM CASA)

PARA OS QUE FOREM ÀS GIRAS:

EVITE CONTATOS DE FACE OU COM AS MÃOS, HIGIENIZE AS MÃOS COM FREQUÊNCIA, NÃO COMPARTILHE OBJETOS, SEJA BREVE NAS CONSULTAS.

PARA TODOS: MANTENHAMOS NOSSA FÉ E CRENÇA NA ESPIRITUALIDADE. QUE SAIBAMOS REFLETIR SOBRE O MOMENTO EM QUE A TERRA ESTÁ PASSANDO. O QUE ISSO NOS TRÁS DE APRENDIZADO EM TERMOS DE EVOLUÇÃO ESPIRITUAL? DE VALORES? DE RESPONSABILIDADES?

Você sabia que dia 13/03/2020, é o último dia da campanha de vacinação do Sarampo? Que essa campanha, voltada às crianças e jovens de 5 a 19 anos, tinha como objetivo vacinar três milhões de pessoas, mas que até o início do mês não tinha alcançado nem 30 mil? Que até o início do mês haviam 338 casos confirmados de sarampo no Brasil? Que três pessoas já morreram por Sarampo esse ano? Agora pense: quantas vezes você ouviu a mídia e a imprensa falar sobre o sarampo esse ano? Quantas “correntes” de WhatsApp você recebeu sobre essa campanha? Quantas mensagens estimulando a vacinação você “disparou” em suas redes sociais?

“Somente as ações em conjunto da sociedade civil, agentes públicos, sociedades científicas e profissionais de saúde farão com que enfrentemos esta nova epidemia com sucesso, diminuindo a mortalidade principalmente entre os idosos e mitigando as consequências sociais e econômicas”- Sociedade Brasileira de Infectologia

Fonte das informações:

Ministério da Saúde do Brasil

Sociedade Brasileira de Infectologia

Centers for Disease Control and Prevention (CDC – EUA)

Texto enviado pelo Dr Ricardo Moreno, Pai Pequeno do T.E.U.C. Pena verde

 

Sem Comentários

Escreva um Comentário