O QUE O NOSSO EU NOS ESTÁ ENSINANDO

O QUE O NOSSO EU NOS ESTÁ ENSINANDO

Estamos passando por tempos muito difíceis, tempos de medo, inseguranças, faltas de perspectivas e outros sentimentos ruins, pois são tempos jamais vividos entre nós. Toda a atmosfera criada pela energia de transformação, no qual nosso planeta está passando, muitas vezes nos traz espanto, nos traz o contato com nossos medos, fugas, culpas, julgamentos e tristezas, muitas vezes essas, vindas com sensações, visões e alucinações, piores que um roteiro de filme de terror. De coisas que jamais faríamos ou sentiríamos em nossas vidas. Mas eu me pergunto, existe algo positivo em sentir isso?
Sim, existe. Há três dias tive umas das piores sensações da minha vida, algo que não quero sentir nunca mais, e não desejo para ninguém. Mas o que estou aprendendo com isso? Estou aprendendo a lidar comigo mesmo, fato que durante muitos anos eu deixe meio que de lado. Nosso cérebro é uma máquina linda, que mesmo nos mostrando o pior dos pesadelos, ele nos permite olharmos, reconhecermos e mudarmos nossa realidade. Uma máquina que trabalha nos dois polos, ele precisa da escuridão para nos mostrar o que é a clareza e vice versa.

E cabe a nós entendermos todos os detalhes dessa sensação ruim e ligar os pontos dela com toda nossa vida aqui na Terra. Acredito que esses sentimentos venham para nos mostrar nossas fraquezas e com isso trabalharmos todo esse processo de maneira racional e plena.
Em três dias estou aprendendo o que não aprendi em 34 anos. Estou aprendendo a me conectar comigo mesmo, aprendendo a respeitar o meu tempo, aprendendo e me conectar com minha espiritualidade, aprendendo a não julgar, pois hoje entendo que cada pessoa tem suas questões e que devemos respeitá-las e apoiá-las, pois não precisamos mais diminuir os outros com nossos julgamentos para nos sentirmos melhores, isso não é justo nem conosco e nem com eles. Estou aprendendo como é libertador reconhecer e se libertar de velhos hábitos e vícios, que hoje não nos fazem mais sentido, e que isso nos afasta de nosso equilíbrio e faz com que nós não nos conectemos com a nossa própria pureza de existir.

Estou aprendendo a lidar com meus julgamentos internos e com minhas culpas. Pois muitas vezes nos culpamos de algo que não cometemos ou nos culpamos porque fomos julgados arduamente durante toda a vida, chega.

Temos que ter paz nesse ponto e entender que também somos frutos de uma criação não perfeita, de que nossos pais e avós também falharam em algum momento, e isso de alguma maneira, também refletiu em nós. Então, hoje eu estou aqui reconhecendo pouco a pouco, perdoando todas as pessoas que me cometeram algum mal, assim como estou me perdoando pelas minhas falhas e por algum mal que cometi.

E o mais importante, aprendendo que nunca estamos sozinhos, que sempre teremos pessoas ao no nosso lado, nos apoiando, nos amando e nos incentivando para sermos pessoas melhores. Além da espiritualidade, claro, que está sempre conectada conosco, acredite você ou não. Que basta você fechar os olhos, se desligar e respirar fundo, que ela virá acalmar nossa alma e nosso coração.

Se você passar por sensações ou alucinações horríveis, tente não se desesperar e entenda que muitas vezes elas vêm com metáforas, para nos mostrar o caminho do autoconhecimento, da autorreflexão e da conexão que temos com o mundo físico e espiritual. Busque sempre esse equilíbrio, seja nos amigos, na família, na religião, na espiritualidade ou com ajuda profissional.
Tudo vai passar. Muita paz e luz para todos.

Texto de Eduardo Oliveira.

Sem Comentários

Escreva um Comentário