EXU E A VERDADE

EXU E A VERDADE

 

Muitas pessoas já passaram por esta experiência: foram conversar com uma entidade de esquerda, cheias de razões e verdades, e acabaram levando uma “entortada”, por quê? Porque as entidades de esquerda não trabalham com a verdade.

Mas antes vamos falar de valores.

Os nossos valores advêm do nosso meio, da nossa família, de como fomos criados, da nossa educação, escolaridade, cultura, religião e de tudo o que já vivemos.

Esses valores podem e devem ser alterados à medida que vamos vivendo e crescendo espiritualmente.

E são através desses valores que nós olhamos e interpretamos o mundo, as pessoas e as informações que nos chegam, e com eles fazemos os nossos julgamentos.

Hoje por conta das redes sociais, somos diariamente bombardeados por um grande volume de informações, muitas delas carregadas com muita bobagem, e qualquer pessoa, a qualquer momento, pode postar a informação que quiser ou criar, sendo verdadeira ou não.

A maioria das informações sérias que chegam até nós, vem dos órgãos de imprensa, porém quando um repórter publica uma informação, por mais isento que ele possa ser, nela está embutida os seus valores além da linha editorial que este órgão possui.

E é bom lembrar que sempre que recebemos uma informação, verdadeira ou não, sempre temos a tendência de nos inclinarmos àquelas que estão mais alinhadas aos nossos valores.

O mundo, desde quando se começou a contar a sua história, é movido por poder e dinheiro, e querendo ou não, bacana ou não, foram por essas razões que a humanidade expandiu as suas fronteiras e “evoluiu” tecnologicamente, e em alguns casos, esses mesmos motivos também fizeram com que várias coisas que poderiam abrir mais os nossos horizontes fossem retardadas ou bloqueadas.

O mundo político, corporativo, empresarial, financeiro, religioso, acadêmico e cultural se movem e se comunicam entre si e conosco, através de suas conveniências e interesses, que nem sempre estão alinhadas aos nossos, e daí as verdades podem se apresentar de maneiras diferentes; não estou aqui fazendo nenhuma crítica, pois, todos nós, de alguma maneira agimos da mesma forma.

Agora vou contar um caso que pode exemplificar bem a maneira de como as entidades de esquerda trabalham:

“Houve uma colisão envolvendo dois veículos, um uno mille 98, e um porsche cayene 0 km, o uno mille pertence a um trabalhador que voltava pra casa, e a cayene pertence a um empresário que saia de um bar completamente bêbado, e esta colisão fez com que o uno ficasse completamente danificado, sem possibilidade de conserto, ou seja, PT.

O uno mille era o único carro da família e foi adquirido com muito sacrifício e ainda estava financiado, enquanto a cayene que custa por volta de quinhentos mil reais, foi adquirido à vista com uma sobra de caixa de uma de suas várias empresas.

O empresário, simplesmente, disse que não iria arcar com o prejuízo do proprietário do uno, nem mesmo acionar a sua apólice de seguro, que tem cobertura para dar a mais de dez unos”.

Ao ler esta história, a primeira coisa que vem a nossa mente é: que empresário mais canalha, pra não dizer uma palavra chula.

Porém nesta história, que é verdadeira, faltou um pequeno detalhe: no momento da colisão a cayene estava estacionada, o empresário estava fora do carro, em pé na calçada com o celular na mão chamando um Uber para levá-lo para casa.

E é por esta, e várias outras razões, que os nossos queridos amigos e guardiões da esquerda não trabalham com a verdade e sim com os fatos.

 

Texto de Milton Norgini, Filho de Santo do T.E.U.C.Pena Verde – 19/10/2020

No Comments

Post A Comment