A vida é um grande MAR

A vida é um grande MAR

Olha para ele. O que você sente, o que você vê?

O ir e vir das águas. Movimento constante.

O que esse movimento nos provoca, o que ele nos diz?

Que a vida não está e nunca estará parada. Que o movimento é inerente à existência.

Esse movimento não é bom ou ruim por si só, ele simplesmente, é. Aceite isso. A VIDA É.

A letra diz: “marinheiro, marinheiro, quem te ensinou a nadar? Ou foi o tombo do navio, ou foi o balanço do mar…”

O bom marujo é aquele que aprende com o MAR da VIDA. Aprende que todas as marés são importantes e necessárias para a continuidade do existir.

Instabilidades, inconstâncias que levam ao imprevisível. O fato é que vocês têm medo do imprevisível. Na verdade, o medo vem mais da ideia que vocês têm do imprevisível do que dele próprio. Mas será que a vida só é feita de terra firme?

O que podemos aprender com as águas?

Na profundeza do mar… desconhecido, mistério. Não temos que saber as causas e consequências de tudo, não subestime o valor do desconhecido, do imprevisível….

A vida não é somente razão. Ela é o SENTIR. Deixe que as águas transbordem…só assim elas levarão o que precisa…só assim elas também trarão o que precisa….

Não é momento de se perder nos individualismos. É momento de pensar e sentir o COLETIVO.

Você não consegue ver todas as forças que te afetam. Apenas sinta e confie.

Se todos somos UMA BANDA, temos que navegar JUNTOS. Não se desesperem com aqueles que se jogarão do barco, não se desesperem com aqueles que se perderão na imensidão do mar, eles também serão cuidados por nossa Mãe. Pedimos somente que orem por eles. Mas saibam que cada um tem o seu destino.

A permanência é uma mera ilusão. Todos nós estamos em constante construção e transformação, não há identidade, tudo é mudança.

Não existe estabilidade. As ondas do mar só refletem uma máxima da natureza. Assim como a água, a terra, o ar, o fogo da mesma forma. O que os compõe? Movimentos. De diferentes fontes e de diversas formas, mas sempre movimento constante. Até a terra que parece estar parada, nunca está realmente parada, nada na natureza está parado, então por que o ser humano seria diferente?

Oscilações compõem a vida. O mundo nos afeta e afetamos o mundo. A questão é: estamos, com nossas atitudes, aumentando ou diminuindo a força do existir? O que você faz aumenta sua potência ou a diminui? O que você faz aumenta a potência de seu irmão ou a diminui?

Vamos então aprender com o movimento do mar? Vamos então nos permitir esse movimento? Deixe que as águas limpem o que precisam limpar, deixem que elas te mostrem o caminho, conecte-se a força maior de nossa Mãe Natureza e nossa Mãe das águas, deixe que elas ativem dentro de nós a força da VIDA. Da gestação. Gestação de VIDA, que pode acontecer pelo nascimento de um novo espírito em terra, mas também por uma nova ideia, por uma nova atitude, por uma nova ação, um novo pensamento e até mesmo pela morte da matéria. Sim, a morte também é uma gestação de VIDA, de VIDA em sua amplitude de possibilidades. Reflita sobre isso.

Esse tempo que vocês estão vivendo exige descobertas…é tempo de se cuidar, claro! Mas, acima de tudo, de se AMAR, de gerar VIDA em si e ao seu redor. Como?

Mantenha as boas energias e pensamentos. Utilize o poder de sua mente e de seu corpo, aliás, descubra o seu corpo, descubra o poder de sua mente. Ela pode te levar a qualquer lugar…

É momento de renovar, de um fazer que desperte habilidades, que desperte bem-estar. Em casa, cuide de sua casa, mas principalmente, cuide de sua alma – sua verdadeira morada. Aprenda algo novo. Ensine algo a alguém. Cante, dance, chore, ore.

Irradie a força das águas para todos a sua volta, transborde amor, navegue por esses mares, tenho a certeza de que você não irá se arrepender e depois dessa tormenta, você nunca mais será o mesmo. E por que querer ser o mesmo? Se tiver a ilusão de que continua, você não aprendeu nada com tudo isso. Não tema a mudança.

Tudo o que acontece, acontece para gerar VIDA. Entenda isso. A dor e o sofrimento serão passageiros, não se apeguem a eles, deixem que a Mãe D’água limpe, acolha, transforme.

Nós não deixaremos ninguém desamparados, acreditem. A hora é de fé, muita fé. Mas sem jamais esquecer o bom balanço do mar, não chore por demais, não sofra por demais. Responsabilidade não tem nada a ver com cara amarrada e energia pesada, busque ser leve e transparente como as águas, busque a descontração dos marinheiros, que não tem nada a ver com ironia ou piadas sem graças, não se faz piadas com o sofrimento alheio, nunca. Sabe de onde vem a nossa risada, o nosso jeito feliz de ser? Vem da sabedoria que temos em nos aliar ao que a VIDA tem de melhor: ela própria. Aprendemos isso com a experiência de adentrar o mar, em tudo o que ele nos proporcionou, suas tormentas e suas calmarias. Quando aprenderem isso, aprenderão que todo instante é ETERNO e que o momento de ser feliz é o HOJE. A VIDA tem MUITO a oferecer…saibam viver!

Salve o povo das águas, salve minha Mãe D’água, salve todos os meus irmãos que me acompanharam em águas e terras. Saravá a todos vocês e a todos nós. Seguimos juntos nessa embarcação chamada VIDA.

 

Marinheiro Rubens, redigido por Isadora Di Natale Nobre Filha de Santo co T.E.U.C. Pena Verde em 01/04/20.

Sem Comentários

Escreva um Comentário